domingo, 18 de abril de 2010

Infinita Highway - longão de 200 Km

Treinão superlativo de bike, acordei atrasado e saí no gás pra encontrar o pessoal lá na cabeceira da ponte às 6:45. Seguimos pelo estreito e barreiros até engatar na BR-101 e rumamos norte. Logo percebi o ventinho contra que acordava, mas seguimos bem. Juntei com o Kilder e Ricardo e quando vi fui lá pra frente, e pouco antes de tijucas parei pra atividade fisiológica de baixa complexidade, o Kilder ficou e fomos tentar conseguir o fone, etc, mas não o achamos.

Tocamos até o trevo de Itajaí e Brusque, retornamos e quando fui apertar o velcro da sapatilha saiu tudo. A coisa soltou completamente. Ferrou. Imagina ficar na estrada por um velcro. O Ricardo arrumou um elástico e eu achei um pedaço de estensor velho no acostamento, aí amarrei a sapatilha no pé. Em camboriú uma manifestação do MST causou um pouco de tumulto e depois veio o morro do boi, coisa terrível com 110 km naquele solão e calor, derreti. Na descida do morro um susto: logo depois de uma curva uma placa fechando o acostamento, e depois tudo coberto de areia e máquinas de manutenção. Ainda bem que vi antes, consegui reduzir e olhei bem pra trás pra ter certeza de que poderia entrar na pista da direita. De lá toquei até o posto do avião em porto belo, única parada. Catei uma caca-cola e um chá mate leão e já fui tomando os dois até o caixa, com mais uma garrafa de 1,5 lt na mão. Vi um sms do Ricardo contando de pneu furado e toquei.

Na entrada de Floripa, 180 km certinho, mas tinha mais 6 porque zerei tudo na ponte. Segui para o sul até a entrada da BR-282 e voltei. Lá estava o vento. E uma subidinha. Coisa sofrida, mas entrei na beiramar de SJ e absorvi 500 ml de água de côco estupidamente gelada, aquilo sim desceu redondo. Fui pra casa e fechou exatos 200 km, um audax, a maior kilometragem já percorrida por este que escreve. Deu média de 30,6 até o Km 180 e fechou total de 29,2. Saí pra correr tranquilo 6 Km e fechou tempo total com paradas, transição, etc, de quase OITO HORAS. Coisa impressionante.

Não fiquei mais acabado do que a semana passada, até parece que terminei o treino mais inteiro. O ajuste da bike tá perfeito, não tive maiores dores do que o esperado, só o punho tá incomodando pela pegada no clipe. Consumo: 3 gel, 1 nutry, 1 barra de proteína, 3 bananas, 5 bisnaguinhas com queijo, 2 garrafas de glicodry, quatro garrafas dágua, chá, coca-cola e água de côco, 2 club-social. Não cabia mais um palito nos bolsos da camisa quando comecei o treino.

Na volta quando fiquei sozinho comecei a cantarolar. Veio um monte de música, mas duas dos engenheiros do hawaii (sugestivo, não ?!) grudaram na cabeça, e tinham tudo a ver com o treino. Uma é infinita highway, outra é até o fim. Vejam as letras se não são pertinentes... Na corrida fiquei pensando como esse treino pro iron é sofrido, mas também como é recompensador. Lembrei muito da prova do ano passado. Fiquei pensando que o resultado já é positivo. Não importa o que acontece no dia 30 de maio, se eu fizer o máximo, o melhor, o resultado será o melhor. Pensei que não importa o nosso preparo, no dia a natureza pode ficar arisca e nos dar um mar quebrado, um vento doido, chuva ou sol inclemente. O nosso melhor é fazer o melhor nas circunstâncias que encontrarmos, o resto vem de brinde. E melhor significa aqui o máximo, e máximo, bom, máximo sempre dói um pouco ;-).

Fim de mais uma semana full, TODOS os treinos completados.

...
Cento e dez, cento e vinte
Cento e sessenta
Só prá ver até quando o motor agüenta


...

Cada célula
Todo fio de cabelo

Falando assim
Parece exagero
Mas se depender de mim
Eu vou até fim

Não vim até aqui pra desistir agora

http://letras.terra.com.br/engenheiros-do-hawaii

Um comentário:

  1. 8 hrs de treino?!?! cacete !!! hehehehe
    esse ano vai passear no im.
    abs.

    ResponderExcluir

Participe ! Deixe sua opinião, ou crie uma polêmica :-)