sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Pedal noturno, mountainbike punk

Olha, eu tenho um sério problema em desperdiçar tempo bom. Se o céu tá claro, a temperatura tá boa, mesmo que não tenha treino eu sou compelido a sair, normalmente de bicicleta. Isso é mais crítico no fim de tarde. Depois do trabalho, ver um céu alaranjado e um ventinho praticamente me impede de fazer qualquer coisa indoor - natação ou rolo na bike.

Então eis que ontem a noite, de supetão, decidi sair pra pedalar com a turma de malucos do mountainbike. Uma galera forte boa de pedal que pedala mais forte ainda, e quando cansa segue puxando o pelotão alucinadamente.

Saímos para o tal do morro do bambú. Fica na interligação entre São Pedro de Alcântara e Antônio Carlos. Fomos pela SC 437 em ritmo forte, primeiros 5 km de leve subida com vento contra a 32 kmph de média na MTB, isso não se faz. Então entramos na terra, uma estradinha ótima de pedalar. Mas já estava escuro, e não consegui curtir a descida. Minha suspensão estava totalmente dura e o farol não ilumina nada, a bike precisa de revisão urgente.

Em um trecho estávamos subindo e no escuro vem um doido gritando, sai da frente, não tem freio, sáaaaai ! Eram dois guris numa barra forte, um pilotando e outro sentado no quadro, descendo a estrada no escuro. Eu estava quase parando de tão lento devido à subida e não consegui ir pra nenhum lado, quase bateram em mim :-).

Depois pedalamos numas estradinhas planas e então subimos a morreba. Coisa terrível, a estrada ia ficando cada vez mais estreita até virar uma trilha larga. A única parada foi pra tirar um galho grosso que entrou entre o garfo e os raios, paralelamente à roda. Depois disso, só subir comendo o próprio suor (isso é nojento) a 170 bpm e 5 km/h, sem ver absolutamente nada a frente, sem saber onde terminava a subida, só ouvindo as outras bikes rangendo montanha acima.

Ao reunir o povo no topo, um friozinho e aí despencamos de volta pra cidade, não antes de parar para um reabastecimento. Um tiro alucinado de 4 km no final acabou com o que restou das pernas. Ótimo treino intervalado desestruturado outdoor, carregado de adrenalina e muita besteira nas conversas. Excelente. Ah, acho que deu 52 km com um desnível de subida de 650m. Média ? O que é isso ? Cadência ? Potência ? Sei lá. Só sei que valeu.


Parada para sorver o líquido preto salvador dos esportes de endurance, na Colônia Santana.

8 comentários:

  1. Show. Curticao e nada de numeros. Mtb!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma resposta. Finalmente lembrei de ativar isso aqui pra facilitar as 'conversas' :-)

      Excluir
  2. Cansei só de ler. 32Km/h de MTB, 5Km e 170bpm... não se fazem essas coisas mesmo. :-)
    Amanhã tenho um de 90Km (bike de estrada) descendo parte da serra e voltando. Vamos ver o que dá.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Como sempre, um baita relato, Pina!!!
    Quinta que vem, tem mais!
    []'s

    ResponderExcluir
  4. que aventura!
    adorei o relato!
    viajei naquela parte em que você diz que não via nada, só ouvia "as outras bikes rangendo montanha acima."
    legal!

    ResponderExcluir
  5. Xampa, e aí qual foi a do pedal no RJ ? A próxima vez que for a passeio quero levar a bike

    Fala Milton ! Hoje fiz um treino de serrinha também, logo report. Foi extra-punk.

    Renato, tenho que consertar a suspensão...

    Elis, realmente é um barato. As luzes brancas fazem um monte de sobras nas trilhas e o povo todo arfando desesperado. Uma viagem mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom1 Show!!!

    Fábio
    www.42afrente@blogspot.com

    ResponderExcluir

Participe ! Deixe sua opinião, ou crie uma polêmica :-)