segunda-feira, 21 de abril de 2008

Maratona de Santa Catarina 2008


Usando as últimas provas como treinamento, me empolguei pra outra maratona. O trabalho se resumiu a brigar com a fesporte para me inscrever e comer massa no sábado - almocei pizza e jantei macarrão até entupir. Treino que é bom houve um específico de 24 km. Mesmo assim tracei uma meta audaciosa, 3h45min. Sismei com esse tempo, e até fiz uma planilhazinha plastificada pra levar na corrida.

Sonhei umas coisas malucas e acordei as 2:30 com a maior chuva. Achei estranho e fui ver na janela: aguaceiro brabo. "Bom, tá caindo tudo, até amanhecer acaba". As 5:30 acordei de novo pra um pit-stop de fralda e chovia fininho. "Oba, tá acabando". Aí acordei de vez as 6:30 com barulho de chuva na janela de novo. Muita.

"Bom, deve parar logo, vou lá pra largada." Tomei café direito, fui pra beira-mar. Arrumei vaga lá no shopping e achei o Clodoaldo aquecendo embaixo do Bradesco. Ficamos alí vendo os doidos aquecerem na chuva. Vimos os cadeirantes largarem; aquilo sim é força de vontade. Aí fomos lá pra largada, todo mundo já no 'curral' e ensopados. O irmão do Clodoaldo, o Ronaldo, estava elétrico na sua primeira maratona. Encontrei a Taty pronta pra largar com a garganta doendo, a Fabi estava a caminho.

Sem muito aviso a massa humana começou a se movimentar as 7:30, largou ! Não aqueci nem alonguei quase nada, estava com frio mesmo com duas camisetas. Encontrei a Fabi de guarda-chuva na lateral e saí forte com o Clodoaldo, o polar ficou doido a 220, e logo fomos acelerando. O polar dele tem 'pedômetro' e marca o pace: 4:40/km até o Km 2, muito forte. Uma amarrada de cadarço e aproveitei pra deixá-lo fugir, senão eu ia quebrar antes da rústica.

A pista era só água, tinha um povo que tentava evitar as poças, e todos iam juntos em efeito manada muito engraçado de ver. Fui reto por todas as águas e economizei uns metros, mas enchi os pés com vários ml de água. A rústica voltou no CIC e nós seguimos, passamos o santa mônica e viramos no trevo do córrego. O tapete do chip ainda não estava no lugar.

Voltei a me focar no ritmo planejado, 5:20 e FC até 160, fui indo tranquilo, passei a largada/chegada, deixei a chave do carro com a Fabi. Por alguma razão estúpida saí só com um power gel, quando fui tentar tomar um no km 10 é que vi que era a chave do carro. Reservei o único mais pra frente. Debaixo da ponte havia um posto de gatorade. Vi de longe e fiquei apreensivo, mas arrisquei meio copo, tranquilo. Achava que teria posto com gel.

Quando um cara pediu 'ei, joga uma corda' quando eu passei é que fui ver o ritmo, tava de novo abaixo de 5, a uns 4:50. Era um camarada das corridas de aventura. Subi pro túnel mais devagar; vários reclamavam que o acesso ao túnel era um morro, mas acelerei de novo na descida, e lá fui pro km 18. Ida pro sul com um pouco de vento na cara e chuva mais forte, mas ainda não estava frio com duas camisetas. Tomei o gel, já meio combalido. Não tinha posto, tinham distribuído uns no kit. Me ferrei. Fizemos a volta lá no fim da via expressa sul e continuei tentando não subir a FC.

Parei de novo pra aliviar a bexiga e logo estava no túnel voltando, agora com vento no nariz de novo. Não é só a beira-mar norte que tem vento surround. Corri vários km ao lado de um cara que ia com uma garrafa cheia de gatorade na mão, mas sempre bebia no posto. Lá no elevado dias velho perguntei o que era, e ele disse que era por garantia. Tinha corrido a maratona do chile há 15 dias e ficou desidratado, aí agora corria com um buffer por prevenção. Abaixo da Hercílio Luz na volta batí os 30 Km em 2h35min, 5 a menos que o planejado, ainda forte.

Continuei rumo aos 32, ponto da chegada e do gel que a Fabi iria me passar. Ela me acompanhou com água e gel, comi um e saí com mais um no bolso para os 10 Km finais. Tinha vindo nos últimos 10 Km a 5:30/km. A tentação de forçar quando se está bem é grande, mas o ocorrido na primeira maratona ainda não me deixa fazer essa besteira de novo. A dificuldade é saber dosar. No início tinha que tomar cuidado pra não fazer abaixo de 5, a partir dos 32 foi difícil manter abaixo de 5:40. Qual será o limiar, ou seja, será que poderia ter forçado um pouco mais mais cedo e ainda ter esse pique agora ? Sei lá... Só sei que a vontade de terminar passando a chegada é grande.

Os 34 vieram e eu já pensava no gel de novo, estava ficando dolorido. Vi os corredores que fariam ao redor de 3 horas voltando e me forcei a manter o passo. Estava bem, a FC estava boa, respiração tranquila, mas as pernas estavam duras, pesadas. Acho que faltou longo pra essa maratona, e um pouco de musculação também, pois os joelhos rangiam. O tendão de aquiles direito ainda doia da volta a ilha, mas era suportável.

A volta final no santa monica, quando finalmente corremos pra chegada era aos 37 Km. Empurrei outro gel para dar um sprint. Fiz umas contas e constatei que teria que manter 5/Km para fechar em 3:45. Forcei o passo até não poder mais, mas não rendia. Tive dor de barriga na altura da polícia federal, km 39. Passei no Km 40 já com a meta estourada, re-posicionei o alvo em 3h50. Para isso teria exatos 12 minutos para 2,2 Km, pouco abaixo de 5:30. Nunca manter esse ritmo foi tão difícil. Pensei na vontade dos que ainda iniciavam os 10 Km finais ainda indo aquela hora, mas lembrei rapidinho que eu também ia quando os primeiros já estavam sentados descansando, e o que vale é terminar.

Entrei no funil e escutei um 'Vai, AndarIlha !!'. Não sei quem era, pois a Fabi estava mais a frente, já na chegada. Tropecei na linha e o meu polar marcava 3h49min25seg.

Deliciosa sensação acabar uma maratona. Difícil pra caramba também, mas muito bom. Choveu o tempo todo, ora ficava forte, ora chovia muito, sempre com poças da largura da pista. Eu, hein ?!

O Clodoaldo fechou em incríveis 3h27min, e o Ronaldo estreou com 4h09min. Achei a Fabi e fomos pro carro, o dela estava ao lado. Eu estava morrendo de frio, só com uma camiseta, troquei por uma seca e me mandei rapidinho pra casa.

Cheguei e fui direto pro banho quente, quase chegou a queimar. Muito 'Nhoque' e suco e a tarde já consegui até ficar em pé. A camiseta da prova infelizmente não sobreviveu.

Parabéns Taty pela rústica. Obrigado Fabi pelo apoio.

Tempo oficial: 3h50min16seg
Posição categoria: 48/66
Posição geral: 325/558.
A chuva deve ter reduzido bem o número de participantes, só da AndarIlha furaram dois :-)

2 comentários:

  1. Que foto legal!
    Parabéns pela maratomachuva, meu! Já tá aprendendo a não quebrar, hein! É isso aeh!
    Có.

    ResponderExcluir

Participe ! Deixe sua opinião, ou crie uma polêmica :-)