sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Meia Maratona de Jurerê 2018

Acho que desaprendi a escrever logo em seguida das provas, ou então é o excesso excessivo de coisas por fazer. Mas de qualquer forma não passará em branco.

Essa meia maratona foi chave neste segundo semestre desprovido de provas. Até setembro somente o mundial de 70.3 e então uma tendinite chata nos calcanhares mais uma panturrilha empedrada e a sensação de ter esquecido como se corre me fizeram passar um mês tentando voltar minimamente.

Fui pra prova bem tranquilo só pra completar, nem que fosse passeando na praia. Mas claro que essa ideia só dura até alinhar pra largada. Ali é tudo ou tudo, não tem essa de entrar em prova pra brincar. Pode não sair a melhor performance da vida mas vai ter que sair o melhor que tiver pro dia.

Alinhei com o Roberto e o Rodolfo e largamos em direção ao P12. Eu tinha aquecido 5 min, tentando tirar a poeira das engrenagens. Comecei a correr ritmado e fui passando uns atletas até ficar num vazio e ver o Ricardo lá na frente. Seguimos pra jurerê tradicional e logo encostei nele e no guilherme e seguimos mais um pouco. Comecei a correr surpreendentemente rápido para as condições prévias e me empolguei. É difícil se livrar de referências de tempo e prestar atenção ao esforço. Mas parecia bom.

Contornamos pra Daniella e o Ricardo chegou de novo com o Guilherme. Alcançamos o Fabrício e seguimos num ritmo ligeiramente progressivo pelo pontal e praia, num pelote coeso e bem constante. Ali alguém perguntou 'cadê o Roberto'...

Consegui correr firme e ao entrar nas trilhas fiquei pra trás instantaneamente. Absolutamente sem o traquejo de outrora, logo escorreguei de cara no chão, parando nas mãos. Todo mundo sumiu e quando cheguei na praia do forte encostei de novo no Fabrício, mas aí tinha aquela parede pra subir e ele vazou saltitando na ponta dos pés e eu fiquei afogado já com dores nas batatas e tendões. Desci todo manco rumo ao P12 quando vi o Roberto vindo no encalço.

Aparentemente o chefe começou a suar só dos 15 km em diante e veio na caçada. Me passou no começo da praia e abriu minutos até a chegada, pegando todo mundo à frente exceto o Guilherme.

Foi uma prova excelente pra re-estabelecer alguma confiança na corrida e chave para as próximas competições. Não foi sem dor mas foi bem razoável, e o ritmo até que não foi uma desgraça completa. Fiz o que dava, mas não dava muito. Mas sendo o que dava, ficamos extremamente satisfeitos. O ambiente de prova e a competição saudável entre amigos é sempre muito legal.

E dessa vez a corrida foi em família. A Daiane e a Laís correram pela primeira vez uma prova junto comigo, muito legal. Conseguiram se divertir bastante :-).


Antes

Depois
Pódio

Acho que foi a primeira corrida da Laís

Saca só o sorriso maroto do chefe kkkkkk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe ! Deixe sua opinião, ou crie uma polêmica :-)